domingo, 23 de dezembro de 2018

Retrospectiva Observaves 2018

2018 está no fim e o Observaves comemora mais um ano movimentado e de muitas atividades. Antes de falar da tradicional passarinhada de confraternização e das principais atividades do ano, gostaria de ressaltar e parabenizar as inúmeras iniciativas e contribuições individuais que os observadores realizam de forma voluntária em benefício da disseminação do conhecimento e da preservação das aves, como a divulgação de fotos e gravações de cantos em sites de pesquisa como wikiaves, exposições de fotos particulares, palestras e workshops sobre fotografia e manipulação de imagens, videos de passarinhadas no you tube (Passarinhando em Brasília é um bom exemplo), enfim, são muitas as ações que merecem reconhecimento e aplausos. 

Para citar apenas uma, em especial, quem vem se destacando como um importante repositório de imagens de alta qualidade para observadores de aves nacionais e internacionais, destaco o site de fotografias de aves birdier, desenvolvido pelos observaveanos Henrique Moreira e Bertrando Campos. Vale a pena conhecê-lo!

Vamos Passarinhar nos Parques do DF.



A parceira com um IBRAM teve mais uma edição em 2018, cuja missão foi visitar os mais diversos parques sob a administração do órgão, muitos deles ainda em estágio inicial de implantação (sem infra-estrutura para receber visitação pública) ou com acesso restrito, como por exemplo a Estação Ecológica de Águas Emendadas.


Exposição Permanente - Observaves no Parque Ecológico de Águas Claras



Lançada no dia 28 de Abril, em celebração ao Dia do Observador de Aves, a exposição foi mais uma ação dos membros do Observaves no sentido de trazer ao conhecimento comum a beleza das aves que ali se alimentam, residem e compartilham sua morada com os frequentadores do parque.


São 18 painéis fotográficos apresentando 15 espécies de aves (3 painéis são institucionais) que ocorrem no Parque Ecológico de Águas Claras e que podem ser vistas com certa facilidade por lá. As fotos foram feitas por moradores da região e frequentadores do parque, participantes do grupo Observaves. A exposição está instalada próxima aos laguinhos, em local de grande visibilidade e fluxo contínuo de pessoas e tem chamado bastante atenção dos pedestres, corredores e ciclistas que invariavelmente dão uma pausa em suas atividades físicas para apreciar os painéis.

Exposição Observaves no Parque Ecológico de Águas Claras

Observaves no Brasília Photo Expo


Brasília Photo Expo ocorreu no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, entre dos dias 15 a 18 de Novembro. Foram mais de 2000 fotos expostas ao público, palestras, oficinas fotográficas e outras atrações. O Observaves participou do evento expondo 42 fotos de aves das mais diversas regiões do país. Com o fim da exposição, os painéis foram adquiridos pelos membros do Observaves para utilização futura em projetos de educação ambiental.


Lançamento do livro Aves Águas Emendadas - Oito Fotógrafos e um destino


Lançado em 19 de Dezembro, em comemoração aos 50 anos da Estação Ecológica de Águas Emendadas - ESECAE, o livro documenta um projeto iniciado em 2011, quando 8 observadores de aves e fotógrafos, membros do Observaves, iniciaram uma pesquisa fotográfica inédita na Estação Ecológica de Águas Emendadas - ESECAE, que culminou com o registro de 231 espécies de aves em um ano de levantamento. Para saber mais e fazer o download da versão digital, acesse aqui.


   

Passarinhada de Confraternização - JBB


Chegamos enfim à passarinhada de confraternização. Esse ano foi realizada no Jardim Botânico de Brasília - JBB, em 22 de Dezembro e sempre com muitos participantes (esse ano foram 25 observadores). O dia estava ensolarado, temperatura por volta dos 30ºC, e após a preleção de costume iniciamos com os observadores se dividindo em grupos menores. Alguns entraram em uma mata de galeria, outros grupo seguiu pela borda dessa mata e um terceiro partiu por uma trilha no cerrado strictu-senso adjacente à mata. Somando-se as listas de registros de cada grupo, foram anotadas 45 espécies de aves em pouco mais de 2h de observação. O registro do sabiá-norte-americano, ave que migra para o Brasil durante o inverno setentrional, e do papa-lagarta-de-euler, espécie incomum na região, foram o ponto alto da passarinhada.

a tradicional foto do grupo
A lista, por ordem alfabética dos nomes populares, está disponível abaixo. Para os observadores que permaneceram até o final do encontro, foram sorteados 8 exemplares do livro Aves Águas Emendadas - Oito Fotógrafos e um destino.

andorinhão-do-buriti Tachornis squamata
andorinha-pequena-de-casa Pygochelidon cyanoleuca
arapaçu-verde Sittasomus griseicapillus
baiano Sporophila nigricollis
balança-rabo-de-máscara Polioptila dumicola
bico-chato-de-orelha-preta Tolmomyias sulphurescens
cabeçudo Leptopogon amaurocephalus
canário-do-mato Myiothlypis flaveola
choca-da-mata Thamnophilus caerulescens
chorozinho-de-bico-comprido Herpsilochmus longirostris
chorozinho-de-chapéu-preto Herpsilochmus atricapillus
corruíra Troglodytes aedon
estrelinha-preta Synallaxis scutata
ferreirinho-relógio Todirostrum cinereum
fim-fim Euphonia chlorotica
garrinchão-de-barriga-vermelha Cantorchilus leucotis
joão-bobo Nystalus chacuru
juruviara Vireo chivi
maracanã-pequena Diopsittaca nobilis
maria-cavaleira-de-rabo-enferrujado Myiarchus tyrannulus
mariquita Setophaga pitiayumi
papa-lagarta-de-euler Coccyzus euleri
periquitão Psittacara leucophthalmus
periquito-rei Eupsittula aurea
piolhinho Phyllomyias fasciatus
pitiguari Cyclarhis gujanensis
pula-pula Basileuterus culicivorus
risadinha Camptostoma obsoletum
sabiá-branco Turdus leucomelas
sabiá-norte-americano Catharus fuscescens
saí-azul Dacnis cayana
saíra-amarela Tangara cayana
saíra-de-papo-preto Hemithraupis guira
seriema Cariama cristata
soldadinho Antilophia galeata
sovi Ictinia plumbea
tempera-viola Saltator maximus
tesourinha Tyrannus savana
tico-tico Zonotrichia capensis
tico-tico-rei Coryphospingus cucullatus
tiziu Volatinia jacarina
tucanuçu Ramphastos toco
urubu-rei Sarcoramphus papa

Livros Aves Águas Emendadas - Oito Fotógrafos e um destino

Em 2011, 8 observadores de aves, membros do Observaves, idealizaram um projeto de pesquisa fotográfica para registrar e catalogar as aves da Estação Ecológica Águas Emendadas - ESECAE. O projeto foi aprovado junto ao órgão Instituto Brasília Ambiental - IBRAM e foi apelidado pelos observadores de Oito Fotógrafos e um Destino - 8F1, uma alusão ao filme 7 Homens e um destino. Teve duração de um ano e todo o material foi disponibilizado ao IBRAM no final do projeto. 

Em 2018 a ESECAE completou 50 anos. A oportunidade de se divulgar todas as belezas captadas pelas lentes dos fotógrafos apareceu e foi concretizada na forma de um livro ilustrado que conta a história da Unidade de Conservação e ilustra todas as 231 espécies de aves registradas durante o projeto, incluindo as 21 novas espécies que ainda não haviam sido registradas na Unidade. O evento de lançamento, que contou com a presença do presidente do órgão, Sr. Aldo Fernandes, servidores e convidados, ocorreu no dia 19 de Dezembro. Durante a cerimônia de lançamento foram distribuídos mais de cem exemplares autografados para os servidores do órgão.

Tancredo Maia Filho, idealizador e autor do livro, ressaltou em entrevista à Rede Globo a importância de se divulgar e conhecer nosso patrimônio natural, para que possamos melhor protege-lo.  Nesse sentido, o livro Aves Águas Emendadas - Oito fotógrafos e um destino torna-se mais uma importante ferramenta para disseminação do conhecimento sobre as aves do cerrado. A livro não está disponível para venda, mas a versão digital pode ser obtida gratuitamente diretamente pelo site do IBRAM.



   

Os Fotógrafos. Da esquerda, Tancredo Maia, Margi Moss, Bertrando Campos, Roberto Aguiar, Rodrigo D'Alessandro e João Martins

domingo, 25 de março de 2018

Passarinhada na ESEC-AE - Vamos Passarinhar nos Parques do DF 2018

OBSERVAVES na ESEC-AE
Aconteceu nesse domingo a terceira etapa do projeto Vamos passarinhar nos Parques do DF 2018. Visitamos a Lagoa Mestre D'Armas ou Lagoa Bonita, que está dentro da Estação Ecológica de Águas Emendadas - ESEC-AE, localizada na região administrativa de Planaltina.

Após a tradicional foto do grupo e preleção sobre a história do local, ainda no centro de visitantes, nos dirigimos, em um grupo de aproximadamente 30 pessoas, para a lagoa onde passarinhamos em seus arredores e nas bordas de mata próximas.

No início tudo muito calmo e silencioso mas aos poucos o pessoal foi se dispersando em grupos menores e a lista de registros visuais, sonoros e fotográficos foi crescendo. Como a Lagoa estava bem cheia (o que era esperado, afinal estamos no final do período chuvoso no DF) e praticamente sem praia, muitas espécies aquáticas esperadas para o local como garças, maçaricos, pernilongos, muitos deles migrantes, não foram avistados na área percorrida. Abundantes mesmo eram os bandinhos de sporophilas (coleirinhos, baianos e outros do gênero) e várias famílias de garibaldis (Chrysomus ruficapillus) com muitos indivíduos jovens.

O limpa-folha-do-buriti (Berlepschia rikeri) passou em branco (espécie que reside e se reproduz exclusivamente em buritizais) para a frustração de quem deseja vê-lo, por outro lado foi possível vem um bando de cerca 15 indivíduos de maracanãs-do-buriti (Orthopsittaca manilatus) sobrevoando a região (outra espécie adaptada aos buritizais, cujo fruto do buriti é o seu principal alimento)

Em aproximadamente 4 horas de passarinhada, o grupo registrou mais de 50 espécies de aves, flores, insetos, capivaras, enfim, a vida natural em suas diversas cores e formas. Outro ponto alto da passarinhada sem dúvida foi a rica troca de experiências entre os recém-chegados e os passarinheiros veteranos. Finalizo com alguns belos registros fotográficos realizados durante a passarinhada.

Tiziu - Gustavo Martins

Tico-tico-rei - Gustavo Martins

Gavião-pedrês - Carlos Roberto de Souza

Chorão - Carlos Roberto de Souza

Chorozinho-de-bico-comprido - Carlos Roberto de Souza









Self do D'Alessandro




Postagens populares